• Marcel Oliveira

Quando a Morte Chega



Ó Tu Morte pouco compreendida

Louvo a tua beleza e a tua perfeição

Poucos compreendem que morrem todos os dias

Poucos entendem que teu abraço final é redenção.


Vivo a vida que me proponho viver

Viver e morrer é uma coisa só


Morte tu és a vida além da vida

De ti, não escapa nem os mais brilhantes sóis


Neste momento de terror na humanidade

Rogo que leves quem apenas chegou a hora

Pois sei que tu és a soberana do tempo

Que só tu e deus sabem se irei contigo daqui há anos ou agora


Morte, anjo de deus que a tudo toca

Nos dê a chance de lhe mostrar que somos dignos de viver nesta dolorosa hora

Porque mais dia menos dia

Lhe abraçaremos para vivermos em outros campos com a verdadeira Luz da Glória.



189 visualizações2 comentários